Thursday, November 25, 2010

Entendendo a crise na Irlanda

Este post é para o Wellington Leite e quem tem interesse no tema.

Meu amigo disse: ¨... agora tudo o que leio é a crise na Irlanda e como isso influencia o mundo... me pergunto, o que deu errado nos ultimos 5 anos???¨

Prévia

Para entender a crise irlandesa temos que voltar ao cenário do boom econômico, que surgiu com incentivos fiscais, desencandeando a instalação de diversas empresas estrangeiras na Irlanda, especialmente as do ramo de produtos farmacêuticos e de computação. 

Fatos

Com a vinda dessas empresas surgiram vários postos de trabalho. Em 2000, quando vim estudar e depois ingressei no mercado de trabalho, pude ver as pessoas trocando de empregos como se troucassem de roupa. Os salários foram aumentados para segurar os funcionários. E como isso, um novo estilo de vida foi criado. Digo, um de bastante consumismo mesmo levando em consideração à melhora de vida desde a entrada na Comunidade Européia em 1973.

Paralelamente o governo financiava os construtores, pois acreditavam que com tanto dinheiro na praça todos comprariam os imóveis sendo construídos. Digo, o governo, pois o tão falado Anglo Irish Bank foi estatalizado com uma injeção de € 1.5 bilhões dos cofres públicos mesmo com um sabido risco operacional de 75%, em 2008. Pessoas com baixa taxa de crédito, que normalmente não seriam emprestadas dinheiro, também conseguiam empréstimos como nunca. 

Se você puder assistir o documentário da RTE Ireland from Boom do Bust, você verá que os irlandeses criaram uma noção de realidade financeira que não poderia ser sustentada a longo prazo. Era noiva da classe média organizando casamento no Slane Castle, que como sabemos é um luxo reservado para poucos, e construtores vivendo uma vida de magnata, tomando champagne na piscina de algum hotel espanhol.

A Irlanda deixou de ser um país competitivo em termos salariais fazendo com que as empresas estrangeiras paulatinamente saíssem do país, o que foi dando lugar a um crescente desemprego. O setor imobiliário ficou saturado. Não havia demanda para tantos imóveis como eles imaginavam. As pessoas que contavam com seus altos salários não podiam mais liquidar suas dívidas. Algumas delas atreladas à hipoteca de suas próprias residências. Só no Condado de Galway, onde vivo, há 23 mil pessoas recebendo auxílio-desemprego no momento. A população estimada desse condado é de 77 mil.

Conclusão


O governo teve que recorrer a ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional e da Comunidade Européia. Estima-se que a Irlanda tomou emprestado 90 bilhões de Euros, o que não foi feito apenas por necessidade, mas por pressão internacional para não desestabilizar o resto da comunidade européia, o que diga-se de passagem, não seria ruim para os Estados Unidos, que temem o bloco europeu e a força de sua moeda.


Consequências econômicas

Agora o governo divulgou o plano econômico de 4 anos anos para reduzir o déficit do PIB para menos de 3% até 2014. A intenção é reduzir 1 do salário mínimo, diminuindo para 7.65. A VAT, que é a taxa sobre produtos e serviços,   atualmente de 21% (já é cara!), passaria para 23%. Também querem introduzir a cobrança de água e ainda pretendem cortar 2.8 milhões dos gastos com benefícios sociais.

Consequências políticas

O Green Party, que é o partido de coalizão do Partido Republicano (Fianna Fáil), já anunciou que deixará de apoiar o governo a partir da segunda semana de janeiro. Assim, o governo precisaria do apoio dos dois políticos independentes (digo, sem partido) presentes (depois insiro o nome deles aqui) para conseguir ter esse plano econômico aceito no final de fevereiro. Contudo, com a retirada do Green Party, o Fianna Fáil, fica desestabilizado, antecipando assim as próximas eleições gerais, antes previstas para o final de 2011. Se elas ocorrerem antes da passagem do plano econômico é possível que um novo governo decida o futuro da Irlanda.

Nota pessoal: Acredito que o atual cenário econômico e político deixarão uma marca de descontentamento muito grande na história deste país, que não retratei neste post, mas espero que eu tenha conseguido explicar um pouco a crise irlandesa.

6 comments:

  1. Wellington Leite11:13 pm

    Ana, Excelente texto, obrigado pelo esclarecimento. Lhe pergunto, de que forma que celebridades como o Bono estao cooperando para ajudar a Irlanda a superar essa crise ? Uso o Bono nao como uma tentativa de irritar voce, mas sim, pq ele foi citado em uma das radios locais aqui em Montreal, o comentarista disse que o U2 seria uma dessas "empresas" que foram beneficiadas com a isencao dos impostos, e que nada tem feito para contribuir com uma soluçao.
    Obrigado
    Wellington

    ReplyDelete
  2. De nada, Wells! Eu quem agradeço.
    Quanto ao que você disse sobre o Bono, você não me irritou. :)
    O Guardian também pegou pesado com ele e disse que a Irlanda tem um dos menores impostos (sobre a renda das sociedades), qual seja 12.5%, na Europa e que ele não deveria promover suas campanhas até a sua empresa voltar para cá.
    Acredito que esta é uma grande chance dele conquistar mais respeito em seu país, porém não acho interessante misturar as causas humanitárias na África com a situação financeira na Irlanda.
    Abraço

    ReplyDelete
  3. Wellington Leite2:00 am

    Ola Ana
    Na verdade nao tem nada haver com o trabalho humanitario que ele faz com muito louvor. Mas nao podemos esquecer que a turne 360 sera sem duvida alguma, a turne mais lucrativa da historia mundial. E acredito que muito pouco desse lucro, chegara aos cofres de algum banco Irlandes, para ser mais preciso, acredito que o unico lucro que ficou na Irlanda foram os ingressos vendidos no show da propria Irlanda. O que vc me diz ?

    ReplyDelete
  4. Eu vou fazer minhas as palavras dos irlandeses que disseram o seguinte ao Pete há pouco: não foi o Bono quem colocou o país na situação em que se encontra. O dinheiro que o Bono ganha é fruto do trabalho dele. São os **** dos políticos que fizeram isso com o país. Ou seja, cabe aos políticos colocar a Irlanda devolta nos trilhos. E para ser sincera, nem os bilhões dele consertariam isso de vez.

    ReplyDelete
  5. Wellington5:54 pm

    Nao busco achar um Cristo para crucificar. Mesmo pq no Brasil temos varios "idolos" que nada contribuem para o sucesso no pais... So quiz compartilhar a visao dos quebecoises....Obrigado.

    ReplyDelete
  6. Obrigada, Wells. Seus comentários são sempre muito bem-vindos!

    ReplyDelete

Obrigada pelo seu comentário. Thank you for your comment.