Tuesday, July 30, 2013

Penico: retrocendo para progredir



Resolvemos tirar a fralda da nossa bebê mês retrasado, aos quase 19 meses de idade. Achamos que seria uma boa tentarmos porque 1) no verão ela poderia passar o dia com menos roupas e 2) ela não estava gostando nada nada de trocar fraldas mais. 

Comprei cerca de 20 training pants, que são calcinhas atoalhadas por dentro, e um penico* semelhante ao na foto acima porque ele dá mais estabilidade para bebês maiores (ela nasceu com 51 cm e 3,9 kg). Um mês antes de iniciar o processo já vinha lendo o livro Meu Penico de Leslie Patricelli, para ela. Foi um achado maravilhoso que encontrei no Brasil. Ela adora este livro mesmo 3 meses depois de sua compra. 

Iniciamos o processo a deixando só de camiseta por alguns dias depois passamos para as training pants. De tempos em tempos eu a sentava no penico. Ela fez xixi na primeira vez que a sentei. Achei que isso era um sinal positivo. Fiquei empolgada. Quando ela fazia xixi no chão eu falava ¨xixi no penico¨, num tom normal. Cocô era mais fácil de ¨pegar a tempo¨. 

Com o passar dos dias foi ficando muito claro para mim que ela não estava pronta para tirar a fralda, pois o xixi só ía parar no penico quando eu a sentava a tempo, e isso era difícil acontecer, pois era muito rápido. Digo, o sinal de que vai acontecer e a coisa de fato. Para ser sincera, a maioria das vezes não tinha sinal, apenas acontecia.

Parecia que eu ficava o dia inteiro tentando observar sinais de que ela precisava fazer xixi. Especialmente nos primeiros dias, que foram bem longos e cansativos. Além disso, eu a sentava quando não era a hora para ela, pois como disse, às vezes não tinha sinal. De forma que parecia que eu a ficava sentando no bendito penico o dia inteiro. Foram dias meio depressivos para mim, confesso.

Conversei com meu marido em duas ocasiões sobre o fato de acreditar que ela não estava pronta. Todavia ele achava que eu queria desistir. Mudei o meu approach para deixar claro que não se tratava de mim apenas, mas dela, bem como meu relacionamento com ela. Sentia que nossa ¨insistência¨ em ¨ensiná-la¨ a fazer xixi no penico seria o começo de um relacionamento conturbado com minha filha. Eu queria parar isso o mais rápido possível.

Assim, após quatro semanas sem ela se deslocar até o penico para fazer suas necessidades ficou claro para mim que ela ainda não tinha aprendido a sensação de bexiga cheia e/ou de como segurar ¨as necessidades¨. No dia seguinte disse a ela que voltaria a colocar fraldas nela, mas que se ela quizesse fazer xixi no penico tudo bem.

Desde então a sento no penico quando ela acorda pela manhã e depois da soneca do dia para manter o hábito porque não concordo em ¨engavetar¨ o penico depois de tanta repetição. Acho que seria confuso para ela, até porque ela gosta de sentar nele, às vezes, para ver seus livros.

Nos primeiros dias de retrocesso continuei colocando as training pants no final do dia, que é o horário de ¨maior atividade¨, mas aos poucos passei a colocar fralda o dia inteiro, com a diferença que comei a usar fraldas reutilizáveis com enchimento uma ou duas vezes por dia. Comprei no site sewisyourbaby quando ainda estava grávida, mas nunca tinha usado elas antes.

Com o retrocesso da nossa parte ela reclama bem menos em ter que trocar a fralda. Eu também procuro trocar mais rápido e num lugar mais confortável para ela. Hoje, um mês depois de recuarmos, ela foi até o penico por livre e espontânea vontade e fez xixi.

Foi assim, logo após sentá-la no penico, ao acordar da soneca diurna, ela levantou e se afastou dele, pois estava com medo do barulho do jato (estavam lavando nossa casa por fora). Ela disse ¨xixi no penico¨ e foi até ele e fez. :)

Então, continuaremos como estamos fazendo, indo devagar enquanto ela vai aprendendo a sentir sua bexiga cheia e a segurar suas necessidades. Acredito que quando ela estiver pronta vai avisar, assim como avisa quando fez cocô. Desde quando iniciamos a retirada da fralda ela passou a não suportar ficar com fralda com ele. Imagino que será o mesmo em relação a estar molhada.

Sentá-la no penico duas vezes ao dia não a irrita nem me deprime, então, estamos bem assim. Se eu não gosto que ¨martelem coisas na minha cabeça¨ porque eu teria que fazer o mesmo para ela sentar no penico!?

*O penico foi comprado muitos meses atrás e ela não tinha interesse algum nele. Muito pelo contrário. Se eu sugeria sentar nele, ela saia correndo. Isso, até ela ler o livro que mencionei. Comprei o penico porque ela estava me avisando que fazia o no. 2 e parecia estar pronta, mas na época era inverno. Não tinha como deixá-la sem calça nem com o aquecedor ligado.

No comments:

Post a Comment

Obrigada pelo seu comentário. Thank you for your comment.