Sunday, December 04, 2011

Evitando intoxicação alimentar


Sócrates deixou uma lição para nós além de ser um grande jogador de futebol e ex-ativista pela democracia no Brasil. Sócrates nos ensinou que aqueles já doentes são muito mais propícios a sofrer graves consequências por intoxicação alimentar.

A preocupação com a saúde no Brasil é grande do ponto de vista físico. Mas e a saúde alimentar? Sem ela podemos nem ficar aqui para contar história. O cuidado para evitar food poisoning na Irlanda é grande. Eu, como a maioria dos brasileiros, não me preocupava muito com isso até me casar com um britânico. 

Toda carne crua que compramos é guardada na gaveta da geladeira, abaixo de todos os alimentos para evitar que o sangue respingue neles. Isso quando vamos comer a carne no mesmo dia. Do contrário vai para o congelador. As já cozidas ficam nas prateleiras. Não é seguro guardar carne cozida na gaveta com a crua, pois esta tem líquido, o que possibilita o surgimento de bactérias.

Usamos tábua de plástico, pois de madeira é menos garantida a limpeza e extermínio de bactérias. Usamos uma tábua só para carne crua, outra só para cozidas e outra só para verduras. Todas de plástico.

O Pete ainda reserva uma faca só para preparar carne. Mas a medida mais radical para mim, entretanto correta, é a de não re-esquentar carne mais de uma vez. Então, se na sua casa sobrar um pedação de carne, corte a quantidade que vai comer e deixe o resto na geladeira de forma a re-esquentar cada parte uma vez só.

O ideal é re-esquentar para valer. Digo, usar alta temperatura, uma vez que é necessário quase 80C para matar bactérias. Acima de 60C o calor apenas previne a sua proliferação de bactéria, mas não mata. E pensar que lavar bem frutas e legume é tudo o que ensinam...

1 comment:

  1. Boa, Ana! Também aprendi muitas dessas coisas aí na ilha, quando trabalhei numa cozinha. São os perigos que a maioria nem sabe que existem...
    bjo

    ReplyDelete

Obrigada pelo seu comentário. Thank you for your comment.