Friday, July 01, 2011

Bebê Mysterious Ways


Passada a noite no hospital a primeira médica a me ver pela manhã disse que  eu poderia voltar para casa se o quadro sem dor se mantivesse. O segundo médico confirmou a informação no final da manhã e disse que fariam um ultrassom à título de checagem final antes da minha saída do hospital.

Nessa altura já tinham escutado o coração do bebê e o monitorado com a cinta ligada à máquina, algumas vezes mais, e tudo continuava bem. Como acabei indo dormir às 5:30 da manhã e só pude dormir uma hora, devido ao barulho dos carrinhos com o café da manhã, aproveitei para tirar diversas sonecas para me recompor. Afinal, a segunda vacina com esteróide só seria dada no final da tarde e não sairia dali tão cedo.

O Pete voltou a me visitar e contou as últimas na hora do almoço. Ele voltou no final da tarde e chegou a tempo de presenciar o esperado ultrassom surpresa. Digo surpresa, pois tinha um agendado para a próxima quarta e não imaginava que fosse saber o sexo do bebê antes do dia 6 de julho.

Lá fomos nós para a sala de ultrassom. Uma hora atrás o bebê estava de ponta cabeça. Contudo, na hora do exame já estava virado de lado e a médica disse que ele se move bastante. Eu expliquei que ele puxou o pai, que chutou muito a mãe dele durante a gestação. 

Após concluirem que o bebê estava bem e podermos ver seu corpinho, o coração batendo umas 124 vezes por minuto, as costelinhas, a cabeça tão redondinha e inclusive o nariz, eu comentei com a médica que ainda não sabíamos o sexo. Ela deixou a técnica tentar descobri-lo, mas após o seu insucesso, ela se apoderou do aparelho, apertou aqui e acolá, o bebê mexeu mais um pouco, mas não soltou o cordão umbilical que estava entre as pernas!

Ahhhhh!, foi o que eu disse. Contei a médica que ninguém vai acreditar mais nessa história de eu não saber o sexo do bebê. Como imaginei que fossem cancelar o ultrassom marcado para a próxima semana deduzi que só iríamos descobri-lo no dia do parto, o que me faria comprar apenas roupas neutras. Entretanto, o ultrassom está de pé, então, espero que o bebê não nos pregue outra peça na quarta!

O lado bacana dessa passagem pelo hospital foi sentir o bebê chutando todas as vezes que o Pete chegava e começava a conversar. O laço afetivo entre pai e filho(a) já existe.

No comments:

Post a Comment

Obrigada pelo seu comentário. Thank you for your comment.